8 fatos científicos que todo amante de café deveria conhecer

8 fatos científicos que todo amante de café deveria conhecer

Com o bom e velho café não tem meio termo: ou se ama ou se odeia. Você por exemplo, se ama a bebida, provavelmente não sabe começar o dia sem uma bela xícara da bebida bem amarga e concentrada, com aquele gostinho de vitória que só um cafezinho recém-passado sabe ter, não é verdade?

Embora quem não gosta de café tenha dificuldade para entender, quem realmente é apreciador da bebida sente um grande bem-estar depois que a cafeína começa a fazer efeito. Alguns chegam a ver as cores ao redor mais vivas, ficam mais alertas, mandam o sono embora junto com a fadiga e assim por diante.

Por essas e por outras razões, muitos dizem ser viciados em café. Aliás, para dizer a verdade, a ciência já comprovou que esse vício realmente pode acontecer ao longo dos anos de consumo. Interessante, não?

Abaixo, na lista, você entende melhor essa história. Como você vai ter oportunidade de conferir, essa bebidinha nossa de cada dia conta com muitos mais efeitos, benefícios e outros segredinhos que a gente nem imagina, mas que todo amante do cafezinho deveria conhecer.

Confira 8 fatos científicos sobre o café:

1. Você não precisa de café ao acordar

Quando você acorda, seu corpo produz um tipo de hormônio chamado cortisol, que promove a sensação de alerta. É por isso que tomar café pela manhã não é algo necessário, embora cultural.

Ao longo do dia, no entanto, as cargas do cortisol vão diminuindo no corpo e a cafeína, então, é bem-vinda para voltar a deixar você mais disposto.

Então, se você levanta às 8h, você só vai realmente precisar da cafeína por volta das 9h30 da manhã. A tarde, um nova recarga de café também pode ajudar bastante, especialmente se for tomado entre as 13h30 e 17h.

2. O composto químico da cafeína é parecido com um neurotransmissor do sono

Sabe aquela história de que café tira o sono? Embora o efeito seja menor em algumas pessoas, isso é bem verdade.

Segundo especialistas, a adenosina, que regula nossas funções cerebrais, é produzida em níveis naturais ao longo do dia. A cafeína, por sua vez, tem o composto químico muito parecido com o desses receptores, e tem a mesma função de controlar a intensidade do nosso sono.

3. Café pode ajudar a prevenir Alzheimer

Conforme estudo da Faculdade de Medicina de Lisboa, em Portugal, o consumo diário e equilibrado de café pode retardar os sintomas do Mal de Alzheimer.

Alguns outras pesquisas pelo mundo também já ligaram o consumo de café com a redução dos riscos de desenvolver outras doenças, como diabetes tipo 2, Parkinson e até mesmo a depressão, no caso das mulheres.

4. Sim, café pode viciar

Outra história muito comum e que pouca gente leva a sério é sobre o potencial viciante do café. A bebida, aliás, pode realmente causar vício ao longo dos anos e modificar a química do seu cérebro.

Isso porque, com o aumento do consumo da proteína, mais receptores de adenosina são produzidos e, assim, é possível que você precise cada vez de uma quantidade maior de café e consequentemente, de cafeína para poder ter o mesmo efeito de antes.

E, como todo vício, a abstinência do café também causa sintomas indesejáveis, como irritabilidade, fadiga, dores de café e assim por diante.

5. Efeitos da cafeína surgem 10 minutos depois do primeiro gole

Segundo estudo realizado na Espanha, pela Universidade de Barcelona, apenas 10 minutos depois do primeiro gole de café a cafeína já está em metade de sua concentração em nosso sangue e começa a agir em nosso organismo.

Ela atinge seu nível máximo depois de 45 minutos e, então, começa a deixar as pessoas mais alertas. Esse efeito, aliás, pode durar de 3 a 5 horas, dependendo da velocidade com que o metabolismo absorve a “droga”.

6. Abelhas amam café

Embora elas não encontrem a bebida propriamente dita na natureza, ela atrai as abelhas, que encontram e consomem a cafeína no néctar de várias flores. E sim, ela melhora a memória desses insetos.

7. Outros compostos do café fazem bem à saúde

Além da cafeína, o cafezinho de cada dia nos fornece também outros tipos de compostos também positivos para a saúde. Os antioxidantes são bons exemplos disso e protegem nosso organismo dos efeitos negativos dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce, por exemplo.

Essas moléculas dos radicais livres também estão associadas a outros problemas, como o câncer e doenças cardíacas.

8. A “cara” da cafeína, segundo a ciência

Apesar de ser uma figurinha carimbada na vida da maioria de nós, quase ninguém sabe qual é a “cara” das moléculas de cafeína, não é mesmo? Segundo os cientistas, ela conta pequenos cristais com 40 micrômetros de tamanho e tem essa aparência registrada na imagem.