Café: Benefícios e Contraindicações

Café: Benefícios e Contraindicações

Café… Hummm…Só de imaginar aquele cheirinho já dá vontade de tomar uma xícara! Para muita gente ele é uma necessidade, principalmente durante a manhã, já que seu consumo tem ação estimulante e auxilia na concentração. Não é a toa que a cafeína é a substância psicoativa mais consumida no mundo. E segundo o IBGE, o população brasileira gosta bastante de café, chegando a tomar de 4 a 5 xícaras por dia.

Mas nem só de cafeína é feito o café, aliás, ela corresponde a no máximo 2,5% da sua composição. Seus grãos também contêm compostos fenólicos, como ácido clorogênico (que é uma substância antioxidante), vitamina B3 e minerais como potássio, manganês e ferro. Os compostos fenólicos oferecem uma série de benefícios à saúde e graças a eles o consumo de café foi associado à prevenção de doenças, como: diabetes tipo 2, Parkinson, alguns tipos de câncer e aterosclerose. Vale lembrar que só o cafezinho não faz milagres, sua ingestão deve ser incorporada a dieta junto com outros hábitos saudáveis, como evitar o uso de açúcar para adoçá-lo.

Contraindicações: Por ser uma bebida estimulante pode atrapalhar o sono se consumida à noite. Para as pessoas sensíveis a cafeína pode causar ansiedade e até crises de pânico, cuidado com o café expresso que é mais forte. O café também não é aconselhado para quem tem gastrite ou refluxo gastroesofágico. Em caso de gastrite leve, o conselho é nunca tomar a bebida de barriga vazia e jamais abusar. O café também não é indicado para gestantes, lactantes e crianças.

Existem duas substâncias presentes no grão, o cafestol e o kahweol, que são capazes de elevar os níveis de colesterol no sangue; por isso devemos usar filtro de papel ou o coador de pano para preparar o café, eles são capazes de reter boa parte dessas substâncias, impedindo que elas passem para a bebida. Obs: O pó não deve ser fervido junto com a água.

Não existe um consenso na comunidade científica sobre o limite diário de segurança para a ingestão de cafeína. Um relatório publicado pelo comitê científico da Autoridade Europeia para Segurança Alimentar (EFSA), sugere que o consumo de até 400 mg ao dia (cerca de 4 xícaras de café) para adultos com 70 kg em média, não representaria riscos significativos a saúde. Para mulheres grávidas ou lactantes, o valor supostamente seguro seria de 200 mg ao dia, mas é necessário realizar mais estudos que confirmem se essa quantidade é de fato segura para o desenvolvimento cerebral do feto durante a gestação ou se pode representar um fator de risco para o desenvolvimento de patologias na vida adulta.

O equilíbrio é chave na hora de consumir qualquer coisa. Observe sua tolerância à cafeína e como seu corpo reage de acordo com o tipo e a quantidade de café que você tomar. O ideal é consumir o café amargo, mas não é todo mundo que consegue. Para adoçar, sugiro xylitol, taumatina ou stévia, caso você esteja fazendo dieta para controle ou perda de peso. Se não for esse o caso, é possível usar um pouquinho de mel ou açúcar de coco para deixar o café mais docinho.

Dica: Acrescente especiarias ao pó de café antes de coá-lo. Você pode usar noz moscada, gengibre ou canela em pó, cravo moído ou em pó. Use a criatividade! Além de gostoso seu café ainda vai ficar turbinado de substancias benéficas.